Dicas de verdade para melhorar sua vida sexual

O desejo está em movimento perpétuo. 

O que o incomoda hoje pode muito bem desligar em alguns anos. 

E se um evento, um encontro, um despertar feminista ou a descoberta de uma nova prática pudesse perturbar tudo?

Quando se trata de nádegas, há as descobertas que fazemos por acaso: “Ah, e se eu usasse esse travesseiro para me masturbar ?” 

Outros são sugeridos por amigos, como desta vez em que Norbert lhe disse: “ Prometo, um anel peniano é realmente muito bom.

Algumas descobertas podem ser simplesmente sugeridas por seu parceiro

“Como você gostaria que eu o amarrasse ao sofá? “ 

Cada vida sexual é marcada pela exploração e adoração. 

São muito preciosos porque dão todo o seu relevo e evitam que seja monótono.

Uma sexualidade livre de frustrações não rima com “um coito e na cama”

Uma sexualidade sem frustração não rima com “um coito e na cama”.

Como é que, em nossa imaginação, a sexualidade deve ser constante?

É suposto ser estático, seja ao nível das práticas, do prazer, dos desejos.

A ideia de que se pode ter uma trajetória sexual com altos e baixos parece impossível.

Teríamos que nascer com libido e – não importa o que aconteça em nossa vida – ela permanece igual até o fim de nossos dias. 

Esta não é de forma alguma a realidade de homens, mulheres e casais. 

Na vida real, há momentos ou períodos em que você tem vontade o tempo todo. 

Isso pode ser pela manhã ou em determinados momentos do seu ciclo . 

Em outras ocasiões, nos sentimos bem em nossas botas e então qualquer forma de sexualidade será satisfatória e interessante para nós. 

Poucos meses depois, não sabemos realmente do que gostamos: sexo rápido em qualquer quarto ou entrada-principal-sobremesa total após o banho, em lençóis limpos, nas noites de lua cheia? 

E às vezes nosso parceiro não nos excita tanto, ou o que ele costumava fazer conosco.

O desejo está em movimento perpétuo. O que o incomoda hoje pode muito bem desligar em alguns anos. E se um evento, um encontro, um despertar feminista ou a descoberta de uma nova prática pudesse perturbar tudo?

Quando se trata de nádegas, há as descobertas que fazemos por acaso: “Ah, e se eu usasse esse travesseiro para me masturbar ?” “Outros são sugeridos por amigos, como desta vez em que Norbert lhe disse:“ Prometo, um anel peniano é realmente muito bom. “Algumas descobertas podem ser simplesmente sugeridas por seu parceiro : ” Como você gostaria que eu o amarrasse ao sofá? “ Cada vida sexual é marcada pela exploração e adoração. São muito preciosos porque dão todo o seu relevo e evitam que seja monótono.

Leia também um pouco mais sobre o estimulante chamado: Macho Power.

Uma sexualidade livre de frustrações não rima com “um coito e na cama”

Uma sexualidade sem frustração não rima com um coito e na cama.

Como é que, em nossa imaginação, a sexualidade deve ser constante?

É suposto ser estático, seja ao nível das práticas, do prazer, dos desejos.

A ideia de que se pode ter uma trajetória sexual com altos e baixos parece impossível. 

Teríamos que nascer com libido e – não importa o que aconteça em nossa vida – ela permanece igual até o fim de nossos dias. 

Esta não é de forma alguma a realidade de homens, mulheres e casais.”

Na vida real, há momentos ou períodos em que você tem vontade o tempo todo. 

Isso pode ser pela manhã ou em determinados momentos do seu ciclo

Em outras ocasiões, nos sentimos bem em nossas botas e então qualquer forma de sexualidade será satisfatória e interessante para nós. 

Poucos meses depois, não sabemos realmente do que gostamos: sexo rápido em qualquer quarto ou entrada-principal-sobremesa total após o banho, em lençóis limpos, nas noites de lua cheia? 

E às vezes nosso parceiro não nos excita tanto, ou o que ele costumava fazer conosco.

Em suma, uma sexualidade sem frustração não rima com “um coito e na cama” . 

Vamos nos surpreender com nossos desejos!

Agata, 32, lembra que antes era especialmente importante não falar com ela sobre ânus. “Isso sempre me deixou um pouco enojada. Fosse quando me masturbava ou quando fazia amor com um menino, era uma área a ser evitada no meu corpo e no de outras pessoas. Uma vez eu assistia pornografia e isso também era um problema para mim: assim que o ânus se aproximava, eca, acalmava meu desejo.”

Até um belo dia … “Estamos em uma missão com meu namorado. Estou bem, acaricio a bunda dele e depois não sei o que me levou … acho que queria que ele tomasse o máximo de prazer possível. Digo a mim mesmo: “Ah, e se …” E pronto, me aventurei entre suas nádegas com meus dedos. Ele gostava de mim também. De repente, tínhamos muitas novas possibilidades.